terça-feira, 22 de outubro de 2013

Juíza Thaís Khalil: “A extensão da liberação do dinheiro aos divulgadores é absolutamente inviável”

A juíza respondeu o que levou a bloquear o andamento da empresa, a devolver certa quantia para a empresa e se essa decisão poderá se estender aos pequenos investidores A autora responsável pelo bloqueio das atividades da empresa Ympactus Comercial LTDA, TelexFree, no Brasil estará presente no Programa Boa Noite Rio Branco desta terça-feira, 22, a partir das 20h20. Respondendo a várias perguntas formuladas por internautas no Facebook do Oriobranco.net, a juíza titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco fala sobre devolução de dinheiro, possível desbloqueio das contas e o futuro da empresa, ainda embargada em todo território brasileiro. Indagada pelo apresentador Archibaldo Antunes, a juíza respondeu o que levou a bloquear o andamento da empresa, a devolver certa quantia para a empresa e se essa decisão poderá se estender aos pequenos investidores. “Houve uma decisão liminar que a proibiu a TelexFree de efetuar pagamentos. Somente após a decisão, a empresa informou que antes havia selado um contrato para edificação de um imóvel e havia assumido compromisso para efetuar o pagamento, solicitando o valo do contrato”, disse a juíza. De acordo com Thaís Khalil, como o compromisso havia selado antes da decisão da liminar, deveria fazer uma substituição de garantia. “Para liberar o dinheiro, foi solicitado uma garantia. Não sei falar qual o montante liberado, mas determinei que o contador fizesse o cálculo para efetuar a liberação com cautela para a empresa a qual a TelexFree deve”, afirma. Thaís Khalil disse que “a decisão liminar q impediu a TelexFree de efetuar pagamento aos divulgadores permanece”. Segundo ela, a justiça ainda não tem uma decisão que determine a devolução desse dinheiro. “A extensão da liberação do dinheiro aos divulgadores é absolutamente inviável”. Conforme a liminar, a decisão determina que a empresa inviabilize novos cadastros. A juíza disse que há apenas indícios de que a empresa é uma rede que não se sustenta e se assemelha a uma pirâmide financeira. “Acredito que em tese outro juiz poderia entrar com ação contra a empresa caso eu não entrasse”. Thaís Khalil disse não saber se as atividades da TelexFree vão voltar. “Depende do julgamento da ação, e após a produção das provas que poderemos afirmar se é pirâmide financeira ou não”. Ameaças “Logo após a decisão, passei a ser muito abordada por divulgadores, alguns se excedendo um pouco. Recebi ameaças por telefone e a policia já chegou a alguns nomes dos suspeitos que estão sendo indiciados”, afirmou