segunda-feira, 28 de outubro de 2013

CASO TELEXFREE - ASSESSOR DO POPÓ LÊ DOCUMENTO DA EMPRESA E FAZ SUAS COLOCAÇÕES.




Sostenes Marchezine Assessor parlamenta do Popó


Acabei de ler em análise 47 folhas do parecer de sustentabilidade econômica da Telexfree, preparado por professores de economia da FGV, e anexados ao processo. É um parecer bem imparcial, como ao máximo devem ser os envolvidos. Todos os pontos estão nesse documento, inclusive riscos elencados, aos divulgadores, às empresas, e até mesmo ao produto em si. Entendi o custo mensalfixo pago ao divulgador como uma estratégia de marketing da empresa para expansão dos negócios, posicionamento da marca e propagação do produto, o que tornou o site TelexFree na posição 38 dos sites mais acessados do Brasil, e que este valor pode ser retirado a qualquer momento, conforme estabelecido em contrato, a critério da empresa, e de acordo com o alcance das metas estabelecidas por ela. Há de se compreender o seu processo de expansão, com o Telexcommerce, a Voxbras e outros. Isso demonstra que a empresa tem planos estratégicos, no mínimo, aos próximos 10 anos, e que não seria um simples golpe de pirâmide financeira, que descaradamente mascara o produto e foca tão somente em adesões, tendo, portanto, um pequeno ciclo de vida. E como o próprio documento explana, claramente, a entrada de novas pessoas representa, sim, ainda, receita significativa para o mantimento da empresa e do negócio, no entanto a médio e longo prazo, com a chegada cada vez mais rápida de tecnologias de rede, internet, 4g, e transmissões via dados, assim como expansões para outros negócios e produtos, como os já elencados acima, certamente irão gerar uma sustentabilidade econômica cada vez mais promissora, diminuindo o uso de certas taxas para o pagamento de rede, ou para o equilíbrio total das contas, na ponta do lápis. Acredito, sim, que existem falhas a serem resolvidas, que devem existir sanções verdadeiras a divulgadores que erroneamente promovam a empresa e o negócio em si como oportunidade de dinheiro fácil, sem trabalho e sem necessidade do produto; que precisam ter alguns mecanismos de segurança implantados. Mas, sobretudo, não posso ser taxativo a ponto de tratar a Telexfree como um grande golpe de pirâmide financeira. Não necessariamente estou a favor da TelexFree, mas estou lúcido, analisando conceitos, aplicando ao caso específico, sendo responsável em analisar pareceres favoráveis e desfavoráveis, e tirando conclusões, que são minhas, pessoais, e neste momento, não pode se confundir com ninguém que represento. Eu aprendi no curso de Direito o princípio "In dúbio pro reo", ou seja, na dúvida, não podemos condenar ninguém. O marketing multinivel, já percebi, é um dos principais meios, hoje, de, através do trabalho e da força do relacionamento, dignificar uma pessoa, uma família... e torço para a maioria das empresas bloqueadas, se não fossem, se tornem verdadeiros canais de mudança de vida de milhares brasileiros.

Att, Marcelo Silva